Páginas

IMPORTANTE!


Caros leitores,

A intenção deste blog é a de disponibilizar informações sobre Farmacologia e Interações Medicamentosas direcionadas aos profissionais de saúde e estudantes, assim como é também um espaço aberto de leitura aos interessados no tema. O conteúdo aqui disponível não possui caráter educativo e, assim sendo, não há responsabilidade pela conduta dos leitores de posse de qualquer informação retirada do blog.
Não há incentivo à automedicação, à refutação de tratamentos ou conduta médica. É importante que cada leitor tenha o discernimento sobre a utilização que faz das informações que adquire, de modo que aquele que causar transtornos a terceiros deverá responder por seus próprios atos.

Sejamos conscientes!

O que são interações medicamentosas?

Decidi dar uma pausa nas interações em si com o objetivo de trazer alguns conceitos que definem o assunto aqui tratado. As seguintes postagens são trechos retirados de um artigo da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos/MS, por Rogério Hoefler. Começo com a definição de interações medicamentosas:

Interação medicamentosa é evento clínico em que os efeitos de um fármaco são alterados pela presença de outro fármaco, constituindo causa comum de efeitos adversos. Quando dois medicamentos são administrados concomitantemente a um paciente, eles podem agir de forma independente ou interagirem entre si, com aumento ou diminuição de efeito terapêutico ou tóxico de um ou de outro.
O desfecho de uma interação medicamentosa pode ser perigoso quando promove aumento da toxicidade de um fármaco. Por exemplo, pacientes que fazem uso de varfarina podem ter sangramentos se passarem a usar um AINE sem reduzir a dose do anticoagulante.
Algumas vezes, a interação reduz a eficácia de um fármaco, podendo ser tão nociva quanto o aumento. Por exemplo, tetraciclina sofre quelação por alimentos lácteos sendo excretada nas fezes sem produzir o efeito antimicrobiano desejado. Há também interações benéficas que são muito úteis, como por exemplo a de antihipertensivos e diuréticos.
Supostamente, as interações causam maiores problemas nos idosos, pois a idade avançada afeta o funcionamento dos rins e fígado, fazendo com que os fármacos sejam eliminados mais lentamente do organismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário